Luhli me convidou para “vestir de origami” sua Caixinha de Quase Música. Pronto! Aqui está o resultado!

 

Há muito tempo, Luhli vem juntando frases poéticas. E agora deu vontade de mostrar seus poemidéias misturados com frases de letras de músicas suas. Daí o nome – Caixinha de Quase Música.

Esta caixinha foi dobrada em papel marmorizado por Irene Bulcão (temos outras coleções, com outro tipos de papel). Embalada num saquinho de tule, é acompanhada por uma “bula poética”, que no verso traz o diagrama da caixa (para quem quiser dobrar a sua própria caixinha…). A produção da Caixinha está por conta do “Cantos, Contos e Dobras”, grupo informal  que se encontra para dobrar, cantar, rir, conversar, falar e fazer poesia…

O fundo da caixa é uma adaptação da engenhosa “Pachetto Regalo”, de Giovanni Maltagliatti. E a tampa é um modelo tradicional.

“Sementes de versos, sentimentos em gotas, pílulas de poesia decantadas pelo tempo, sopradas por delírios, vislumbradas em sonetos, flashes de cantigas, setenta refrões dos baus de mim, os poemidéias me foram chegando com auroras.

Os origamis vieram depois, transformando o papel em dobras, trazendo cores, estampas, texturas, pinturas, colagens, reciclagem, lúdicas embalagens, passaportes de viagens, fontes de desejos.

E as Caixinhas de Quase Música viraram jogos entre amigos sortes de realejo, poéticos tarôs para tardes amenas e noites promissoras.

Se soprar a inspiração, há sete folhas em branco para que semeiem seus poemidéias.

A Caixinha de Quase Música é um novo mimo para desfrutar e oferecer, ramalhete de palavras. Uma nova maneira de se fazer presente.”

Luhli e Vera, Lumiar, 2017.

A Caixinha de Quase Música é uma boa opção para presentes de fim de ano. E é perfeita como lembranças de festas ou para campanhas de publicidade…

Podem ser feitas em papéis especialmente criados para o evento ou identificados com a logo da empresa.

Informações mais detalhadas no email
multiluli@yahoo.com.br